Translate

Wikipedia

Resultados da pesquisa

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Processos rizomáticos







Ao me lembrar da infância vivida próximo das florestas, das cachoeiras e dos vales, no alto da Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, percebo o quanto a natureza era abundante nos seus recursos e, principalmente, mais falante com o homem.
Não esqueço das belas sacadas estéticas de suas paisagens; eram aplicativos impressionistas, em territórios ainda férteis, compreendidos maravilhosamente por Oscar-Claude Monet (1840-1926).
Também existiam as introspectivas poéticas de Goethe (1749-1832), que se faziam desafiadoras para muitas mentes que assistiam pouca TV, mas adoravam viajar nas correntes dos efeitos do C20H25N3O, nas noites alucinantes de fartas constelaciones.
As estrelas se transformavam em enigmas... Um jogo de linguagem conhecido apenas por Hermann Karl Hesse (1877-1962), nos seus detalhes ontológicos ultra realísticos. Mas quem lia Hesse na década de sessenta no Brasil? Eram os loucos estudantes de medicina, de engenharia, de direito, de letras, de história, de geografia, de psicologia e de filosofia. Outra coisa, a rapaziada tinha expressões sexuais, apresentadas por William Reich (1897-1957), desnuadamente bem resolvidas.
Isso acontecia exatamente na época que o mundo humano se via no período de transições de valores. Era o final do clássico capitalismo científico, criado por Adam Smith (1723-1790), dando espaço para o crescimento do antropoceno. Uma equação que deixa dúvidas quanto aos fundamentalismo ideológicos estabelecidos durante o séculos 20. Putz!!! Foi nessa fase que surgiu o Consenso de Washington.
Transito pelas insondáveis deduções do materialismo dialético, pedagogicamente utilitário na cabeça de "notáveis" economistas e políticos, e me lanço de coração e cérebro na expansão do universo desenhados mentalmente por Giordano Bruno (1548-1600). Se naquela ocasião, os religiosos não tivessem se intrometido na história, estaríamos mais integrados aos processos naturais e menos mecânicos.
Bem.. Isso são fragmentos. Coisas simples... Rizomáticas... Sem efeitos colaterais. Afinal. essa não é a intenção.

Nenhum comentário :

Postar um comentário