Translate

Wikipedia

Resultados da pesquisa

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Somos idiotas?

 
Obra de Iberê Camargo – A Idiota
 
 Vivemos em uma “nova” ordem mundial? A resposta é simples: Não!!! Sem uma perspectiva de inovações humanas nos destruímos todos os dias. Se tivéssemos dado mais atenção ao processo darwinista, talvez a humanidade não estivesse tão embrutecida. O desleixo de cair nas armadilhas da ideologia cristã causou estragos na nossa evolução.

Pois bem, voltando à análise sobre essa "nova" ordem mundial que se apresenta nessa rebuscada realidade, o que posso dizer é que ela é extremamente careta, estranha e sem conteúdo. No Brasil, por exemplo, assistimos a estagnação histórica da política. Os fatos são danosos. Estruturas corruptas anulam o seu crescimento.

A ausência de instituições sérias coloca em risco a nossa liberdade de desenvolvimento coletivo. Com isso ficamos entregues as barbáries de uma hipocrisia insana. Por outro lado, temos a perniciosa falta de uma discussão intelectual sobre o que acontece por aqui. É bom que se diga que a dita classe pensante não existe. A maioria é conivente com o que acontece.

É um drama! Peculiar a nossa estúpida e mesquinha cultura. O aniquilamento de um raciocínio mais amplo criou um ridículo cenário. O estado perdeu sua capacidade de gerir com mais responsabilidade seus recursos econômicos. E seus ideólogos acreditam que são gramscianos. O que diria Paolo Pasolini desse quadro?

Em outra via temos a desmontagem de serviços essenciais ao ser humano. Um deles o acesso à água. Vários rios estão doentes e as matas fragmentadas. E olha que isso já tinha sido comentado no período colonial pelo cientista José Bonifácio Andrada e Silva. Mas como não houve metas logísticas de crescimento pagamos por um preço alto.

Terminamos, por fim, o ano de 2014. Nova equipe econômica, novos nomes para compor os ministérios... E daí. Quais serão os resultados? Com as recentes denúncias sobre o esquema da Petrobrás veremos que o caldo vai engrossar ainda mais. Saudades de uma era repleta de ideias revigorantes apresentadas por Habermas, Marcuse, Rawls e tantos outros que enriqueceram um século que ficou apenas em lembranças.
                       

Nenhum comentário :

Postar um comentário